Como convencer a igreja local a investir em comunicação e marketing digital

Antes de voltar aos céus, Jesus nos deixou uma tarefa, comissão simples, mas difícil de se executar:

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando esses novos discípulos a obedecerem a todas as ordens que eu lhes dei. E tenham certeza disto: Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28:19-20 – versão Nova Bíblia Viva).

Essa tarefa é composta de duas grandes partes: 1a) Ir e fazer discípulos; 2a) Ensinar-lhes as ordens do Mestre.
Estas duas tarefas, que compõem a chamada Grande Comissão, são realizadas através de uma simples ação: Comunicação. Comunicação, segundo o dicionário, é a prática ou campo de estudo que se debruça sobre a informação, a sua transmissão, captação e impacto social. É o conjunto dos órgãos de difusão de notícias. No nosso caso, a boa notícia, as boas novas.

Jesus era um mestre da comunicação. Multidões o perseguiam. Homens desistiram de suas vidas inteiras para segui-lo. Os líderes de sua época foram chocados por ele. A história foi dividida por sua vida e morte. Mas Jesus falou de certas formas que nós não falamos atualmente.

E é aqui que eu imagino que você se encontre, como eu já me encontrei. Querendo convencer algum líder de que precisamos voltar à essas formas que Jesus usou, de acordo com o momento e mundo em que estamos inseridos hoje. Talvez você se identifique com estes três grandes componentes da comunicação que Jesus utilizou em seus dias terrenos:

Jesus comunicou atravessando os filtros pessoais

Jesus sabia a mensagem que ele tinha vindo anunciar, mas ele também entendeu que cada pessoa que ouvia a mensagem filtrava-a através de sua própria “lente da realidade”. Cada um de nós tem entendimentos pessoais e experiências próprias de vida. E essas crenças e experiências moldam a nossa forma de receber informações.

Jesus encorajou o diálogo

Eu sempre me cativei pela atitude na qual Jesus raramente deu às multidões as respostas que eles realmente estavam esperando ouvir. Cristo entendeu a importância do diálogo. Ele poderia facilmente ter escolhido apenas a opção de gritar Sua mensagem em cima de um telhado ou monte para que todos o ouvissem. E quando ele precisou, o fez. Mas na maior parte do tempo, Jesus deixou Seus ensinamentos abertos para uma conversa e discussão.

Ele queria provocar perguntas e questionamentos, e acima de tudo, entendo que ele queria que as pessoas resolvessem questões e encontrassem a resposta por si mesmos (deixando o Espírito Santo agir em conjunto).

Jesus era um storyteller

Jesus contou histórias. E que histórias, não é mesmo? Histórias emocionantes. Ele falou abertamente de verdades teológicas densas e “pesadas”, envolvendo-as em histórias sobre moedas, agricultura, família, política, casamentos, construção civil e cultura.

Jesus comunicou Sua mensagem em um “pacote” que as pessoas de sua época poderiam segurar e carregar. Ele falou sua língua. E ele provocou as pessoas à ação, dedicação e serviço ao longo da vida. Mas nós não nos comunicamos da maneira como Jesus o fez. E, porquê? Meu amigo… essa resposta eu não tenho, e sinceramente, não gostaria de tê-la…

Acho que o importante é pensar em como contornar essa situação, se você se encontra em algum ministério, igreja ou congregação que simplesmente acha uma grande bobagem essa coisa de comunicação, internet e redes sociais.

Assim, aqui vão algumas ideias ou dicas que eu usei pra convencer algumas das pessoas (que vão de pastores tradicionais, presbíteros ou diáconos até líderes carismáticos e liberais) ao meu redor:

1. Coloque todas as cartas na mesa

Eu sei que você deve ter alguma carta guardada na manga, pra quando o seu pastor ou líder “liberar” a criação do ministério de comunicação ou a verba pra investir em redes sociais e mídias digitais. Eu também tinha algumas. Mas não guarde elas na manga. Coloque-as na mesa em sua primeira jogada possível.

Grande parte do pré-conceito que muitos líderes possuem hoje, em pequenas e grandes comunidades, é não saber o que o carinha da internet vai fazer com esse cheque em branco! Hehe.

Delimitar um “plano de negócios” do que você pretende fazer em curto e longo prazo, com uma planilha de ações, atividades e resultados pretendidos dentro de um calendário e prazo definido pode auxiliar e muito aquele líder temeroso do que essa “novidade” de mídias digitais e redes sociais podem causar na comunidade.

2. Testemunhe. Se preciso for, use palavras

Uma forma que eu encontrei pra “remediar” um líder “quadrado” foi colocar num PowerPoint ressaltando TODOS os pontos fortes que a igreja possuía no “mundo offline” e dizer que esses mesmos pontos não estavam presentes no “mundo online”. Utilize-se de números, tabelas, projeções, comparações e casos bem sucedidos pra embasar sua pretensão.

De cara o líder percebeu que era como ter uma casa de seis cômodos super limpa, pintada, cuidada e organizada, mas com um dos banheiros entupido, sujo, quebrado, sem cuidado e organização, com musgos e ralos podres. O que desvalorizava a casa como um todo! Não importava o resto, as pessoas olhariam para aquele banheiro asqueroso.

Quer você queira ou não, as pessoas hoje visitam e muito nossas redes (sites, fanpages, etc.) antes mesmo de colocar o primeiro passo pra fora da casa delas em direção as nossas igrejas. Estes são os tempos em que vivemos. Ignorá-lo só trará mais problemas.

Lembra-se que Jesus é e foi um storyteller? Use essas metáforas, figuras de linguagem e ilustrações pra que eles entendam sobre assuntos que eles não entendem agora. Assim como muitos professores já fizeram com você. Isso não denigre a imagem ou posição deles, mas apenas evidencia que o ser humano é tocado por histórias. Veja um pouco mais sobre isso clicando aqui.

3. Nós só temos uma vida, não a desperdice, nem deixe alguém desperdiçá-la

Eu gosto muito do exemplo que Martinho Lutero nos mostrou. Sempre uso seus exemplos quando falo sobre os assuntos comunicação e inovações tecnológicas para igrejas.

Ele se viu no foco de certas atividades religiosas que traíam a mensagem do Evangelho que ele tinha vindo a conhecer intimamente. Ele estava ávido e desesperado para ver a igreja se tornar tudo aquilo que ela foi criada para ser. E nas primeiras ondas da reforma protestante, Lutero começou a traduzir a Bíblia para o alemão comum em 1521. E, em um ato desafiador, Lutero colocou e disponibilizou sua recém traduzida bíblia na tecnologia de vanguarda de sua época: a imprensa; e alcançou inúmeros territórios, reinos e pessoas de seu tempo.

Porque razão então eu não poderia utilizar o Facebook e tantas outras ferramentas de nossa época atual pra buscar o mesmo objetivo com a mesma empolgação e ansiedade por resultados? Jesus nos deu esta vida e momento pra que não a desperdicemos em coisas vãs. Mostre a vontade e amor pela obra missionária que a comunicação através de mídias digitais e redes sociais pode alcançar.

4. Os campos estão brancos, mas os trabalhadores parecem não enxergar

Eu acredito que pouquíssimas pessoas ainda duvidem que a internet veio pra ficar. Tudo bem que algumas coisas ainda assustam. Eu mesmo ainda sofro pra comprar coisas online, por que muitas já vieram erradas ou porque tive problemas com os pagamentos, mas nem por isso vou desistir da internet e do que ela pode fazer pela gente.
Ouse mostrar algum Youtuber para seu pastor/líder e a mensagem que ele tem dito aos jovens de nosso tempo. Qualquer vídeo engraçado e com milhões de likes e inscritos deve funcionar, e pergunte a ele se é essa mensagem que ele quer ver prosperar em nossos tempos.

Quer ver um dado interessante? Diga a ele que 90% de todas as crianças de 12 anos do mundo já estão expostas à pornografia digital e que a cada segundo do dia 28.258 usuários acessam sites pornográficos e gastam em média, por segundo, o valor de U$ 3.075,64 dólares em pornografia (dados do Webroot e The Nielsen Company em 2008 e 2010 respectivamente), e pergunte a ele se é essa mensagem vitoriosa que fez ele ingressar no seminário ou na liderança de um departamento na igreja.

Sim, tem que ser chocante, porque é um problema alarmante de nossos dias. A internet está sendo usada para o mal pois a igreja não está se fazendo presente ali. Simples, porém complexo assim!

É como se enxergássemos um país inteiro sem a presença de um cristão sequer, sem a presença de uma igreja por mais pequena que fosse. Um lugar sem qualquer pretensão de se ouvir a palavra de Deus. E, se até na Coréia do Norte existem missionários pregando o Evangelho, não temos desculpa alguma para não estarmos presentes na internet. Volto a dizer, o que estamos esperando? A perseguição chegar em terras tupiniquins?

Por fim, em seu lugar, o que Jesus faria? Será que Jesus estaria sentado em nossos bancos ouvindo nossos sermões e atividades, ou estaria entrando nas discussões acaloradas sobre feminismo, homossexualidade e política para apaziguá-las ou dar-lhes direção como fez em seu tempo? Será que Jesus não teria um perfil público no Twitter com constante atualização para disseminar sua mensagem como o fez sentado naquele monte retratado em Mateus 5-7? Será que Jesus não seria o Youtuber mais bem cotado de likes e inscritos, disseminando o amor sobre o ódio, a salvação sobre a perdição, sem a necessidade de patrocínio ou investimento? Eu gosto de pensar que sim…

Pois o mundo está esperando que a igreja se levante. E nós sabemos que a Igreja nunca irá falhar, mas nossos métodos podem. Por isso eu digo, oração e conversação, sempre. Se o seu desejo é ver a noiva de Cristo se levantar e aproveitar as oportunidades que estão na frente dela, você está em boa companhia. Jesus, Lutero, muitos outros e eu, estamos com você! Explique quantas vezes forem necessárias. Tenha amor e paciência para trazer aqueles que não conhecem o assunto para o grupo dos que conhecem e investem. Eu sei que cansa, mas uma hora todos nós entenderemos.

A televisão já foi tachada de obra do capeta, mas hoje todas as famílias têm pelo menos uma em suas casas. O problema não está na ferramenta, mas na forma como a ferramenta é usada, lembre-se sempre disso!

Que Deus o abençoe nessa caminhada árdua e até uma próxima! Deus é contigo!

Recommended Posts
Showing 2 comments
  • igreja em Recife
    Responder

    Reflexão brilhante…

    • Conversão Digital
      Responder

      Muito obrigado pelo elogio em seu comentário! Toda glória e honra sejam dadas a Deus! Afinal de contas, só podemos dar ou dividir aquilo que Ele nos deu primeiro! Deus seja louvado eternamente!

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search