Relevância e Transcendência: como conciliar tecnologia e inovação à cultura das igrejas.

Atualmente, tanto nos círculos criativos como nos encontros cristãos, ouço muito sobre ser relevante. Relevância é um substantivo que demonstra relevo, importância, algo que se salienta, sobressai ou se destaca dos demais. Algo que significa intimamente ligado ou apropriado para o assunto em questão. Isso quer dizer que algo relevante será sempre uma solução pertinente ou aplicável. Isso faz muito sentido. É atual. “Relevância é relevante”, saca? Mas não é utilizado por demais já? Acredito que o termo tem sido usado demais e passou a significar algo apenas “cool”, “hip”, “antenado” ou “em grande estilo”, não? As aplicações da relevância devem ter a ver com a amplitude. Chegar a uma larga faixa demográfica e não estar fora de hora ao mesmo tempo. O objetivo aqui é estar fora da curva (no bom sentido).

Mas, em contraste, a palavra transcendência (que deveria ser mais aplicada e utilizada, na minha opinião) é um substantivo que significa sagacidade, perspicácia, superioridade de inteligência, algo que está superando o ordinário; sendo excepcional. É além ou acima do alcance da experiência humana normal ou meramente física. E é isso que você deve buscar nos dias atuais: ser transcendente, e não meramente relevante. Explico.
Durante o Renascimento, a arte cristã abriu um caminho nunca antes imaginado. A “arte cristã” foi realmente excepcional e muitos tentaram imitá-la. Como “produtores de mídias” definitivamente temos um desafio quando se trata da busca por um equilíbrio da qualidade, tempo e mensagem. Mas dentro desse contexto, precisamos encontrar maneiras de produzir projetos, convencer líderes, e atingir pessoas de forma transcendente, e não apenas relevante.

Veja um exemplo que me empolga profundamente:
Em 1521, nas primeiras ondas da Reforma Protestante, Lutero começou a traduzir a Bíblia para o idioma alemão comum (o que já era um ato de inovação enorme!) mas não “contente”, em um ato desafiador, Lutero transformou sua relevância (traduzir a bíblia para o povo comum) em um ato de transcendência. Utilizando a tecnologia de ponta mais avançada de seu tempo, Lutero levou a bíblia em alemão para a imprensa escrita. Isto é, toda e qualquer pessoa poderia ter acesso a ela a partir daquele momento. E, cara, que agente de mudança! Que exemplo de utilização da tecnologia a favor do Reino. Evidente transcendência.

Precisamos levar cultura criativa, elevando a curva do gráfico de inovação e criatividade para dentro de nossas igrejas.

Precisamos ser os primeiros a adotar emergentes criatividades, tecnologias e aplicações, para o lado brilhante da força! Hehe

Sempre que possível eu tento trazer idéias inebriantes e malucas para a realidade prática. Mas toda essa conversa de relevância e transcendência soa como uma classe de graduação de filosofia, meu! Como posso canalizar isso tudo em meu ministério dia-a-dia? Aqui vão cinco sugestões que irão ajudá-lo a conduzir sua relevante existência em transcendência para o reino.

1. Ore. Ore muito.

Você deve começar aqui. Repito. Se não começou, volte e inicie por aqui. Como diz o pastor Mark Batterson: “Uma idéia de Deus é melhor do que mil boas idéias”. Seja qual for o projeto (vídeo, animação, ministério, evento, louvor, curta-metragem, performance ao vivo, etc.), se esta é sua vocação, você deve começar com uma oração. O que nós precisamos aqui é a “revelação”, não mera informação ou “achismos” humanos.

Precisamos orar para que Deus nos mostre uma maneira que só ele pode conduzir. Chega de ministérios terrenos, já estamos fartos disso, não? Precisamos tratar a nossa vocação criativa e eficaz dentro da pregação e liderança cristã firmadas debaixo de obediência. Como diria um amigo meu: “Pra onde Deus aponta, Ele paga a conta!”. Comece agora a clamar pela direção de Deus. E ele pagará a conta necessária para sua produção.

2. Escolha um projeto e coloque-o no calendário

Sei que há inúmeras coisas em sua lista de “coisas a fazer” e você não pode dar a cada esforço criativo um alto nível de atenção, mas você pode “orar-escolher” um projeto-chave em seu horizonte em que você se comprometerá, e a oração abrirá um caminho para que Deus possa mover poderosamente esse projeto e as pessoas envolvidas/atingidas por ele.

Dentro das inúmeras idéias que surgem durante seu ministério, eu tenho certeza que uma idéia em especial deve “martelar” ou já incomodar você por algum tempo. Essa só pode ser o projeto que Deus quer trazer para a realidade, através da sua vida neste momento da história. Não perca a oportunidade. Claro que há caminhos que para o homem parecem bons, mas ao final dão em morte, como se diz em Provérbios, então busque em oração, conselho e conversas com seus líderes, anciãos e pastores, bem como em uma vida firmada no estudo da Palavra, para que Deus confirme esse desejo/evento.

3. Execute o projeto (ou pelo menos tente!)

Quer se trate de uma série de sermões, um curta-metragem, uma encenação, uma reformulação do ministério que você quer produzir, ou um livro infantil que você quer escrever e ilustrar, marque uma data de vencimento para o primeiro passo importante. Então, quando você completar esse marco, imediatamente coloque outro marco a ser completado no calendário. Lembre-se, uma escada é feita de muitos degraus.

Até porque às vezes você pode estar lutando (como eu já lutei) e tentando mostrar na sua comunidade a importância do novo e da mudança. Se algumas coisas não saírem do papel com você sozinho ou com sua equipe, como você poderá ser ouvido? Mais uma vez, não estou incitando a rebeldia de contrariar seus líderes e entendimento de sua comunidade, mas estou dizendo que um bom plano de estratégias e uma pró-atividade dentro do seu âmbito de atuação não só podem, como devem convencer os outros.

4. “Ponha a boca no trombone”

Diga às pessoas sobre seus planos. Não há nada como o estímulo, crítica e “prestação de contas” para ajudar a empurrá-lo no alcance de seus objetivos ordenados por Deus. O discipulado mútuo traz verdadeiros resultados, assim como Jesus fez com os doze apóstolos.

Uma palavra para jovens líderes. Você pode se sentir desanimado, sub-valorizado ou despercebido. Você pode se sentir como se estivesse sentado na mesa das crianças durante o jantar de Natal. Todos os “adultos” discutem e decidem as coisas que importam, enquanto você está recebendo ervilhas na cara, atiradas pelo pequeno primo Tiago. Eu sei, eu já estive lá também. É frustrante, solitário, e francamente, é enlouquecedor às vezes. Parte deste sentimento é devido por você se sentir frustrado, já que ninguém teve tempo para investir em você e mostrar-lhe como as coisas funcionam. Você não tem que cometer o mesmo erro. Nunca mais faça algo sem ensinar e trazer outros ao longo do caminho com você. Construa o seu legado desde o início.

Tenha esta certeza: o seu tempo para tomar o bastão está se aproximando rapidamente; provavelmente muito mais rápido do que você pode pensar. Nesse meio tempo, encontrar novas maneiras de fazer as tarefas e responsabilidades que já foram confiadas a você é o segredo. Deus está vendo tudo! Se não há objetivos comuns, sugira-os. Não tenha medo. Deus está vendo tudo! Você tem mais do que você imagina e mais pessoas estão do seu lado do que você pensa. Pelo menos uma aqui, escrevendo estas palavras! Continue caminhando e executando, Deus está vendo tudo!

Uma palavra para líderes maduros. Você pode ser frustrado com o ministério. Você pode ser frustrado com a fidelidade às vezes enlouquecedora dos seus colegas mais jovens, que mostram relações com todas as coisas digitais e novas, mas lembre-se, isso é tudo o que eles sabem. Eles cresceram em um mundo muito diferente do seu e, assim como você, estão temerosos sobre a adoção destes novos estilos de comunicação, eles também estão com medo. Temerosos de que eles nunca vão ter a chance de mostrar o que eles podem fazer, antes que seja tarde demais. Eles querem trabalhar com você, em parceria e juntos no ministério, para construir o reino de Deus. Eles chamam isso de “Geração Nós” (ou “Milennials” do trabalho sociológico de Don Tapscott) por uma razão!

Por favor, dê o primeiro passo. Ou o segundo, ou o terceiro. Você pode não ter todas as respostas; nem eles terão. Não vista o pequeno Davi com a armadura de Saul. Você sabe o final da história (1 Samuel 18). O que funcionou para Saul não funciona para Davi. Eu sei que é mais fácil dizer do que fazer, mas é a única maneira de se ter sucesso.
Líderes maduros e jovens, me ouçam: Empoderem seus artilheiros. Há pessoas em sua equipe, igreja ou em sua congregação que entendem a passagem da era digital (ou qualquer outro assunto) melhor do que você ou qualquer outra pessoa na liderança. Procure-os. Ande com eles. Independente do seu “status” ou hierarquia na igreja. Seu trabalho, como líder, é discernir quando sua própria sabedoria e conhecimento são úteis e, como ocorreu com Saul e Davi, quando eles só ficam no caminho, atrapalhando-os. Um verdadeiro líder é aquele que não se faz necessário para as coisas ocorrerem. Elas acontecem sem que ele precise “ficar em cima”!

5. Prepare-se para os rachas

Olhe para a logística do que é necessário e comece a se preparar para o que vem pela frente. Aja “como se” você soubesse o que está fazendo (porque afinal, se é verdadeiramente uma ideia de Deus, você estará fora da sua zona de conforto) e comece a avançar de maneira prática. Problemas virão. Humanos e espirituais.

Você, e seus líderes, estão aqui para fornecer os trilhos ou “guardrails”, não para evitar os acidentes. As pessoas batem os seus “carro-vida”, porque elas têm um “carro-vida”. E, você tem feito isso a si mesmo também. Graças a Deus que temos a oportunidade de ter um ministério e um lugar para dormir, acordar, errar, acertar e aprender. Lembre-se, há cristãos que não podem sequer falar o nome de nosso Senhor Jesus Cristo livremente. O que estamos esperando? A perseguição?

Quando você se preparar para produzir um projeto transcendente, o mesmo vai acontecer com você. Mas fique tranqüilo, você vai aprender sobre si mesmo e seu ofício/dons e Deus proverá de formas inesperadas, como vem fazendo ao longo da história. Então, vá e prossiga com a sua vocação. Você foi criado para isso, e Deus quer usar você para elevar a curva do gráfico do evangelho na história.

Até uma próxima, continue sendo relevante, mas busque transcendências para a glória de Deus-Pai.

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search