Sua igreja e a importância de uma boa experiência do usuário

Você sabia que a Experiência do Usuário (comumente chamada de “UX” – User Experience) é um dos fatores mais importantes que devemos levar em conta ao criar o site da nossa igreja ou qualquer outro canal online? Se seu público alvo acha difícil encontrar alguma informação em seu site, ou até mesmo em seu boletim semanal, por exemplo, você está falhando absurdamente em UX! Hoje queremos trazer aqui algumas dicas de usabilidade para facilitar sua comunicação, seja com os membros de sua igreja ou com potenciais visitantes.

Definindo: o que é Usabilidade ou “UX”

UX, ou Experiência do Usuário, no bom e velho português hehe, em termos simples é como um usuário se sente ao usar seu site. Podendo ser esta uma experiência boa ou não, fácil ou difícil, lenta ou rápida. Isto é, o nível de satisfação do usuário! E nosso objetivo ao trabalhar um bom UX é que ele esteja 100% satisfeito!

Na imagem abaixo é possível ver como cada simples detalhe pode influenciar nessa experiência e torná-la boa, ou traumática, a quem nos visita ou até mesmo tem acesso diário aos nossos materiais de divulgação (online ou impressos).

Áreas da Experiência do Usuário - UX

Áreas da Experiência do Usuário – UX

Ou seja, nosso objetivo, ao criar uma boa experiência para nosso visitante, é torná-lo feliz! Assim como fazemos com aquele que visita nossas igrejas fisicamente, queremos o mesmo sentimento para quem nos visita online. Para isso, precisamos antes quebrar alguns mitos e erros comuns de UX (ou usabilidade) que nossas igrejas têm cometido:

1) Pare de tentar adivinhar o que seu público deseja

É muito comum que nossas igrejas já achem que sabem o que seu público deseja ver ou acessar baseado numa “experiência de muitos anos”… aquele famoso “sempre foi assim” ou “sempre fizemos assim”. O mundo mudou e a forma das pessoas pensarem e interagirem também mudou, assim como a igreja, muitas vezes, precisa se adaptar a isso! Existem centenas de ferramentas hoje, como o Google Analytics por exemplo, para determinar através de métricas o que é necessário fazer para alcançar as necessidades do nosso usuário.

Uma outra boa dica é estudar um pouco sobre os “Mitos de UX”. Sabia que nem sempre o que a gente acha que é certo, é certo?! Na verdade pode se estar diante de um grande erro de usabilidade que por si só afasta as pessoas do seu site! Conheça vários aqui nesse site.

2) O usuário não é burro!

Sim, as pessoas sabem o que elas estão procurando e, se ao entrar no seu site, não encontrarem o que desejam de forma rápida, vão partir para outro que seja mais fácil. Existem centenas de milhares de opções de igrejas disponíveis hoje no Google e se a sua não “ajudar” ao usuário, fique alerta, pois alguma outra irá! Falamos muito sobre isso no post sobre elementos que o site da sua igreja precisa ter.

3) Mantenha a experiência do usuário offline no online

Quando você chega numa igreja pela primeira vez, também não fica perdido, sem saber onde sentar ou como chegar ao banheiro, por exemplo? E, dessa forma, não nos tentam receber da melhor forma, indicando onde sentar ou como chegar ao banheiro? Existem igrejas grandes que entregam até um mapinha na entrada para seus visitantes, de forma a tornarem a experiência deles ali muito mais fácil! Por isso, se você ainda não o faz offline em sua igreja, comece já! E, se já o faz, traduza isso para o online, de forma que quem chegue ao seu site, visitante ou não, encontre tudo que necessita e se sinta bem-vindo com isso.

4 dicas rápidas para resolver os problemas de Experiência do Usuário da sua igreja

1) Pesquise e analise o perfil do seu usuário (ferramentas)

Como dissemos acima, não tente adivinhar o que seu público alvo deseja encontrar. Para isso, se baseie em métricas. Existem hoje diversas ferramentas que podem te auxiliar nesse processo, para que uma melhor experiência seja entregue aos seus usuários, como:

  • Google Analytics – a ferramenta mais básica de todas, que você deve utilizar em seu website. Com ele você pode ver estatísticas tais como número de visitas, tempo gasto no site, páginas mais acessadas, fontes de tráfego, etc. Perfeito para entender o que os usuários mais acessam.
  • SurveyMonkey – use pesquisas para entender seus usuários. Um formulário simples enviado por email para entender o perfil de cada um ou até mesmo uma pesquisa maior dentro de sua igreja podem ajudar, e muito, a entender no que precisa-se trabalhar.
  • CrazyEgg – excelente ferramenta que gera, dentre várias outras coisas, heatmaps (ou mapas de calor) que mostram em quais áreas do seu site os usuários mais interagem. Abaixo um exemplo de heatmap da página de busca do Google, mostrando onde os cliques de usuários mais se concentram (triângulo amarelo, nas areas mais avermelhadas) e onde as pessoas menos acessam (linha vermelha, mostrando até onde a maioria dos usuários rola a página).
Zona de visão do usuário na página de busca do Google

Zona de visão do usuário na página de busca do Google

Um exemplo simples é: se uma informação importante está muito abaixo na página, talvez as pessoas não estejam a encontrando por simplesmente não estarem rolando a página até lá!

  • Conversa – sim, apesar das várias ferramentas que temos, nada melhor do que uma conversa para entender o que as pessoas desejam. Já parou para sentar com seu pastor, por exemplo, sobre isso? Costumamos a fazer as coisas como nossas “mentes tecnológicas” acham ser corretas, mas nem sempre seu pastor ou a senhorinha do ministério da terceira idade entendem ou vêem da mesma forma! Interaja e descubra coisas incríveis sobre seus usuários (além de ser mais fácil e mais barato! Haha)
2) Conheça e viva o conceito R.E.A.D.Y.

Pode parecer algo complexo, mas na verdade é algo bem simples e que todas as igrejas já deveriam “estar fazendo”. SEJA:
R – relevant – Relevante
E – engaging – Encantador
A – authoritative – Confiável
D – directional – Direcionado
Y – yield optimal – Que renda ao máximo/Que seja excelente

3) Mantenha seu site sempre atualizado

Já falamos muito sobre isso aqui, mas é sempre bom repetir: nada há nada pior do que entrar num site e ver que sua última atualização foi feita no natal de 2014! Nunca deixe de considerar as atualizações constantes do site de sua igreja em seu planejamento e calendário anuais.

4) TESTE tudo! E quando acabar, teste outra vez!

Testar é tudo e você pode descobrir coisas incríveis! Pode te abrir os olhos para ideias que nunca tinham surgido ou te ajudar a corroborar um conceito que você já tinha em mente. Lembre-se que você e sua igreja são únicos! Nem sempre o que funciona no “vizinho” pode funcionar para o seu público. Mais uma vez: seja único e busque isso! Teste sempre e “se” descubra! 😉

Abaixo, gostaria de compartilhar uma antiga apresentação que fiz, que fala um pouco sobre UX e SEO (já falamos sobre SEO para Igrejas aqui, lembra?). O material não é focado em igrejas, mas pode ajudá-los a entender um pouco mais sobre o assunto também, se desejarem se aprofundar:

E vocês, já sabiam o quanto a usabilidade pode afetar a interação dos seus visitantes com sua igreja? Já cometeram, como nós, erros similares? Compartilhem conosco!

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search