9 erros que cometi quando comecei a trabalhar com comunicação e mídia na igreja

Quando começamos a trabalhar com comunicação, a tendência é sempre querer abraçar o mundo e fazer de tudo! Muitas vezes, nesse processo, cometemos alguns erros primários pela simples afobação do fazer. Seja ele desde querer usar todas as cores do arco-íris num cartaz até problemas de equipe e liderança.

O que eu quero compartilhar aqui hoje com vocês, é isso: alguns erros (e aprendizados) que eu cometi no decorrer desses mais de 10 anos trabalhando com mídia na igreja, para ajudar vocês a também não os cometerem! Então vamos à lista!

1) Menos é mais

Como eu falei acima, é muito fácil querermos juntar todas as técnicas que aprendemos num lugar só. Quem nunca abriu o Photoshop pela primeira vez e descobriu que marcando todos os estilos (desde sombra até “bevel & emboss”) sai um “3D animal” (só que não, né? Haha) ou achou que era legal colocar todas as últimas 5 fontes incríveis que baixou numa arte só? Lembro-me até hoje de um antigo chefe meu, no trabalho, olhar para uma arte que fiz e dizer: “é, você usa muita sombra na fonte… isso é coisa de quem tá aprendendo mesmo!”. Desde então, nunca mais usei sombras em excesso! Hahaha

E, realmente, é bem normal para quem está começando querer fazer e usar de tudo, por isso lembre-se sempre: menos é mais! Só assim você realmente conseguirá transmitir com excelência a mensagem que deseja passar!

2) Criar sites ou fanpages para cada ministério da igreja

Quando criei o primeiro site de minha antiga igreja, todo mundo gostou tanto que cada ministério queria um pra ele. A mesma coisa aconteceu quando surgiu o Facebook e suas fanpages.

Mesmo que por um lado isso seja bom, pois é a igreja valorizando seu ministério, temos que ser criteriosos e aprender a dizer não. Cabe aí, então, você avaliar se realmente cada um desses ministérios precisa (e tem conteúdo) para ter um site ou fanpage separados do oficial da igreja. Já te adianto que, na maioria dos casos, a resposta é não, salvo alguns ministérios mais ativos como o de Jovens, por exemplo.

3) Inconsistência (cores, logos e fontes)

Já falamos um pouco sobre isso aqui e aqui, mas é sempre bom voltar no tema. É bem comum querermos dar “aquela adaptada” no logo da igreja, pra encaixar na ideia genial que a gente teve. Aí vale distorcer, mudar a cor ou até mesmo a fonte, não é mesmo? Não! É muito importante manter a identidade visual na nossa mensagem, assim conseguimos criar uma “cultura” na mente das pessoas de que aquela imagem ou conjunto de cores e fontes representam você! Aposte nisso!

4) Usar músicas e fotos sem os direitos

O famoso “peguei no Google”, quem nunca, né? Ok irmão, o Senhor te perdoa na ignorância (hehe), mas agora que a gente já te contou que não pode fazer isso aqui nesse post, não faça mais! Nada de colocar aquela música gospel das paradas no seu vídeo ou aquela foto linda do Google com uma bela marca d’agua no fundo nos seus slides!

5) Copiar do coleguinha

Pode parecer piada, mas é uma das coisas mais comuns que vemos por aí. Sabe quando rola aquela falta de criatividade, aí você vê algo incrível que outra pessoa fez, vai lá e troca uma cor aqui, um texto ali e tá feito? Lembro-me de uma vez fazer um curso de “Webdesign” (sim, ainda existia esse termo! Rs) e o professor ter a “capacidade” de ensinar que quando você estivesse sem criatividade, era só entrar em algum site legal, dar “print” e jogar no Photoshop para editar cores e fontes… Por favor, né!

Deus nos deu criatividade infinita, vamos usá-la! 😉

6) Ter todas as redes sociais e não usar nenhuma

Isso se aplica também um pouco ao que falamos no erro 2 e que também discutimos no primeiro post da série sobre mídias sociais. Não adianta cadastrar sua igreja em todas as redes e não ter tempo para gerencia-las ou estar num lugar onde seu público não está. Lembre-se: menos é mais!

7) Fazer antes, perguntar depois

Já fiz muito isso na vida e aprendi que se comunicar na comunicação é tudo! Quando alguém da sua igreja vem pedir algo para você e você não o comunica ao seu grupo de trabalho, simplesmente faz, pode te render grandes problemas! Para evitar esse tipo de “saia justa”, não deixe de alinhar TUDO com sua equipe ou líder. Crie grupo de What’s App, Facebook, email, telefone, qualquer coisa!

Mas comuniquem-se, para comunicar direito!

8) Pessoas cometem erros e você também não está isento de cometê-los

Quando chega a pensada “maturidade”, é comum também esse tipo de erro. Você já acha que sabe tudo, que pode apontar os erros dos outros e pensa que nada daquilo pode acontecer com você. Engano nosso, meu caro! É aí que estamos mais propensos a erros. Seja humilde, tanto para tratar com os erros de sua equipe como para tratar com os seus. Todos erramos e isso é normal. Não se sinta mal. Corrija-o e siga em frente!

9) Não saber dizer não

Acho esse o mais valioso de todos e, admito, ainda não sei administrar muito bem isso na minha vida. Para algumas pessoas é mais fácil dizer não, já para outras é uma situação terrível e constrangedora o negar um pedido. Além de se sobrecarregar, isso pode fazer com que a qualidade e excelência do seu trabalho (ou de sua equipe) caia muito. Por isso, pense muito e organize-se para saber quando dizer “sim” e quando dizer “não”. Ponha isso em prática! Tenho certeza que vai te ajudar!

Bom, esses foram alguns dos erros que eu já cometi. E vocês, já passaram por algo similar? Tem erros e aprendizados que gostariam de compartilhar? Conta pra gente!

Recent Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search