Projeção na Igreja: linguagem

Outro ponto importante que você deve prestar muita atenção ao estruturar sua produção de projeção na igreja é a linguagem. Com certeza, toda a base da projeção reside na imagem e, realmente, uma imagem vale mais que mil palavras. Acredito que é por isso que acabamos ficando tão visuais e enferrujados na hora de acrescentar um texto que dê suporte a ela. Existem horas que somente a palavra vai transmitir exatamente o que você gostaria que compreendessem e é mais do que vital que ela esteja de acordo com as regras da gramática e acentuação.

Já viu aquela propaganda da Colgate em que várias pessoas estão sem uma orelha, ou com um dedo a mais e você não percebe até que te apontem, só porque eles estão sem o dente da frente? Assim acontece com um erro de português estampado em letras garrafais em lugar de destaque na sua igreja. Todo o propósito do que você estava tentando informar é arruinado.

Alguns erros são mais fáceis de perceber, outros, apenas algumas pessoas irão notar, mas isso não irá impedi-las de comentar com o colega ao lado e, pronto, toda sua mensagem foi vencida por um descuido ou erro. Invista um tempo revisando as letras e textos, é possível que tenha ocorrido erros de digitação. E é muito importante que a revisão seja feita mais de uma vez e por pessoas diferentes. Acredite, a unidade depende do uso correto e claro da nossa língua.

Aqui vão algumas dicas sobre os erros mais comuns:

Erros

É crucial que você também utilize o tipo de linguagem correspondente ao público a que está se dirigindo. Gírias e tons informais são aceitáveis para grupos de adolescentes ou jovens, mas não devem aparecer em cultos normais ou direcionados para uma faixa etária mais elevada. Evite também abreviações. No entanto, não adianta rebuscar demais a linguagem de modo que somente com um dicionário em mãos as pessoas vão entender o que você quer dizer. Faça uma pesquisa, invista um tempo para entender as características do seu público. Já falamos sobre isso aqui.

Uma regra que aprendi com o marketing é: nunca utilize pontos de interrogação ou exclamação nos títulos-chamada de suas programações. As frases devem sempre estar no imperativo, induzindo a pessoa a tomar a ação que você está sugerindo, realmente como uma ordem sutil. Isso pode dar grandes resultados. Faça um teste (imperativo, viu!? Rs).

Além de tudo isso, segure-se um pouco para não usar muitos termos estrangeiros. Mais uma vez, vou contar uma experiência que se deu em minha própria igreja. Foi organizado um dia de pic-nic em uma chácara no interior em um dia de feriado, para que todos pudessem ir, tendo um momento de diversão, comunhão e afins. Muito bom, não?! O problema é que decidiram fazer propaganda na igreja sob o nome de “DAY-CAMP”. Muitas pessoas deixaram de ir simplesmente por que não sabiam o que isso significava, apesar de muitas vezes terem explicado o conceito. É possível que muitas estivessem desatentas na explicação e tiveram contato apenas com o folder. Você pode dizer que isso era bem simples de entender, mas nós nunca estamos na cabeça do outro para saber o que se passa ali. O português é uma língua muita rica, somos a única língua que possui uma palavra para o sentimento de sentir falta de alguém (saudade)! Sabia dessa? Então, explore isso! Seja criativo.

Não deixe que uma arte super legal que você tenha criado para ilustrar seus cultos seja assassinada por um pequeno “deslise”! Faça quantas revisões forem necessárias e sem pressa! Como diria minha mãe, a pressa é inimiga da perfeição!

Invista na linguagem e você verá o poder da palavra.

Pense nisso. Discuta com a gente, queremos saber o que você pensa.

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search