YouTube para igrejas Parte 02: como obter mais views em seus vídeos

Em nosso último post sobre YouTube para igrejas, falamos sobre a importância do canal e demos dicas de quais tipos de conteúdo trabalhar. Hoje vamos falar um pouco mais sobre como melhorar e aproveitar esse conteúdo criado.

Basicamente, o processo de criação de um vídeo acontece da seguinte forma (e vamos chama-lo aqui de “workflow”):
1) Pré-produção – criação do conceito, cenas, etc.;
2) Produção – gravação propriamente dita;
3) Pós-produção – edição;
4) Distribuição – publicação no YouTube e canais de vídeo;

Os 3 primeiros passos estão sendo tratados em nossa série sobre Vídeos para Igrejas e são, tradicionalmente, as 3 áreas que mais gastamos tempo fazendo. É muito comum dispensarmos hooooras e mais hooooras de tempo e criatividade produzindo e editando e, quando finalmente chegamos ao passo 4, pensamos “Ufa! Acabei! Agora é só colocar no Youtube!”… No, no, no! You are doing it wrong, amigo! Haha! Sabia que esse é um dos maiores erros cometidos ao se trabalhar vídeos online? Vem junto que te conto porquê…

Acredito que se você já fez vídeos e publicou-os no YouTube já passou por essa situação: horas de trabalho infinito reduzidas a 10 views (visualizações) apenas, mesmo compartilhando em todas as suas redes sociais, o contador não saiu do número 10, não é mesmo? Isso ocorre porque estamos empregando esforços nas etapas de forma errada! Não estou dizendo, de forma alguma, que devemos ignorar os passos de 1 a 3 do workflow, afinal um vídeo bem produzido faz toda a diferença, porém precisamos, e muito, dar atenção ao passo 4.

O ideal é gastar 50% do seu tempo na produção (passos de 1 a 3) e 50% na distribuição (passo 4).

Então, como otimizar seus vídeos para o YouTube e obter mais engajamento?

O objetivo aqui é dar algumas dicas sobre como otimizar seus vídeos durante o processo de distribuição e conseguir melhorar tanto seu número de views como o engajamento do público alvo, através de um melhor posicionamento no mecanismo de busca de vídeos do YouTube (afinal, quanto melhor ranqueado, mais visibilidade será obtida).

1) Utilize palavras-chave

Assim como já falamos sobre otimização de websites e SEO aqui, também podemos aplicar as mesmas “regrinhas” para os vídeos no YouTube. Tenha sempre a certeza de utilizar as palavras-chave que façam mais sentido para seus usuários buscarem, tanto no título do vídeo, como na descrição e nas tags.

  • Título: tem influência importante no ranqueamento dos vídeos dentro da busca do YouTube e é um grande influenciador na decisão do clique do usuário. Faça-o relevante, com o máximo de 5 a 10 palavras (nada de títulos muito longos!).
  • Descrição: não faça uma transcrição do vídeo nesse espaço, mas sim fale brevemente sobre o que se trata, de forma a criar curiosidade nas pessoas para que elas o assistam. É um bom lugar também para incluir um link para seu site, blog ou redes sociais, de forma a dar continuidade à conversa com a pessoa que estiver assistindo.
  • Tags: não influenciam diretamente no ranqueamento, mas ajudam a ter seu vídeo mostrado na seção “vídeos relacionados” na coluna da direita. Use ao menos 10 tags e tenha certeza que elas são relevantes e relacionadas ao assunto do vídeo.

Youtube para igrejas - exemplo de título e descrição

2) Adicione transcrições e legendas

Transcrições literais de vídeos e legendas ajudam você a alcançar um público maior ainda, como deficientes auditivos ou pessoas que falem outro idioma. Já pensou que incrível poder alcançar surdos com seus vídeos mesmo sem tradução em libras? Ou até mesmo criar legendas em chinês para um vídeo falado em português? Vamos aos confins da Terra, amigos! 🙂
O YouTube transcreve automaticamente os vídeos mas, geralmente, é um trabalho bem fraco rs… Por isso é ideal que façamos a nossa parte! Além de poder alcançar outras pessoas, vídeos transcritos ou com legendas (possuem o símbolo CC) também tem a força extra no ranqueamento. Para isso, escreva a transcrição do vídeo em um arquivo txt (bloco de notas) e faça o upload do mesmo durante o processo de envio do vídeo (mais detalhes com passo a passo de como fazer isso aqui)

Youtube para igrejas - exemplo de vídeo com legenda

3) Construa um canal relevante

A autoridade de seu canal no YouTube também é um dos fatores para um bom ranqueamento, se não o mais importante. Certifique-se de construir um canal relevante: informação completa, foto de capa e perfil personalizados, links para seu site e redes sociais, e seções de vídeo organizadas, por temáticas ou períodos, ajudam a ganhar autoridade. Promover o seu canal ao invés de vídeos separados também ajuda no ganho de autoridade e relevância.

4) Engajamento dos usuários

Número de views, thumbs up (curtidas no vídeo), compartilhamentos, linkagem, comentários, vídeos “favoritados”, inscrições no canal… são muitas as ações que os usuários podem tomar e se “envolver” com suas produções e esta é, inclusive, uma das razões pela qual colocar seus vídeos no YouTube é a alternativa mais recomendada.

Youtube para igrejas - exemplo compartilhamento

Outras formas de gerar engajamento:

  • Compartilhe em suas redes sociais, como Facebook e Twitter;
  • Sempre crie uma página para incorporar seus vídeos em seu website ou blog;
  • Crie uma lista de e-mails específica para pessoas que tenham interesse em receber seus vídeos toda vez que publicados ou envie um resumo em sua newsletter mensal (exemplo: série de sermões do mês, vídeos de músicas gravadas por sua banda, etc.);

Atenção: certifique-se de que a opção de compartilhamento é de seu vídeo/canal, caso contrário, as pessoas não conseguirão compartilha-lo!

5) Use annotations

As chamadas annotations ou “anotações” permitem que você adicione algumas “caixas” de interação sobre seu vídeo como um link para comentários ou para outros vídeos do YouTube, ou ao seu site externo. Muitos YouTubers usam anotações para pedir “likes” ou “curtidas”, comentários e inscrições no canal. Eles também são úteis para vincular seu vídeo a outros de conteúdo similar em seu canal.

Youtube para igrejas - exemplo de annotations

6) Pense no YouTube durante a produção

Considere sempre a fase de distribuição durante os processos de produção. Quando possível, faça com que o apresentador interaja com a tela do YouTube, apontando para os botões de ação que podem ser adicionados na tela futuramente. Faça uso dos mesmos recursos durante a edição, convidando o usuário a se inscrever no seu canal ou a compartilhar o vídeo, etc.

7) Outros

  • Prefira usar vídeos em HD do que em SD
  • Garanta que seu vídeo esteja habilitado para dispositivos móveis
  • Você pode escolher a imagem principal de entrada de cada vídeo ao fazer o upload. Escolha a mais atrativa!
  • Crie playlists para vídeos de séries ou sequências (veja como aqui);

Gostaram das dicas? Como vocês tem trabalhado o YouTube para suas igrejas? Compartilhe!

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search