Guia prático sobre vídeo para igrejas – Lição 25

LIÇÃO 25 – INTRODUÇÃO À ILUMINAÇÃO

Até aqui neste guia eu mencionei várias coisas que irão contribuir para uma melhor qualidade em seus vídeos. No entanto, algumas dessas coisas você não poderá sempre controlar. Talvez você se sinta em desvantagem diante de mega produções que encontra por aí; talvez você não tenha uma câmera com as mesmas funcionalidades que a câmera de outra pessoa tenha, mas isso não significa que você não possa fazer vídeos excepcionais. De fato, alguns filmes de Hollywood têm sido filmados com DSLRs da Canon. No final, a sua capacidade pessoal e a sua criatividade contam mais que a quantidade de equipamentos que você tem. E essa afirmação cabe exatamente no que se refere à iluminação.

A iluminação é uma das ferramentas que você pode utilizar para se equiparar às grandes produções. Os diretores de fotografia dos filmes gostam de se auto intitular de “moldadores da luz” e não é à toa: a iluminação é o que traz emoção, caráter e personalidade às filmagens; é uma ferramenta fundamental para moldar cada take. Nas próximas lições vamos falar um pouco sobre técnicas específicas, mas, antes disso, vou te falar um pouco sobre as três características mais importantes da iluminação. Sem essa informação não podemos avançar, pois antes de começarmos a usar as técnicas de iluminação, precisamos ser capazes de avaliar que tipo de luz iremos usar em primeiro lugar.

1. Temperatura

A coisa mais importante que você deve saber é que nem todas as fontes de luz são constituídas da mesma forma. E a primeira característica mais variável em cada uma delas é a cor. Luz pode ser um imenso espectro de diferentes cores. E, não, eu não estou falando sobre as cores das lâmpadas de LED que você tem no palco da sua igreja; estou falando de temperatura de cor.

Temperatura e Condição de Luz

Estou falando sobre o que nós diríamos que consideramos cor branca: lâmpadas comuns e fluorescentes, o sol etc. Todos esses tipos de luzes têm sua própria temperatura de cor. Todas são brancas. Mas algumas são mais azuladas e, outras, mais avermelhadas. Nós falamos rapidamente sobre isso na Lição 10, sobre balanço de branco. Se você quer ver o espectro de cores e ver como ajustar sua câmera para cada situação de temperaturas da luz, dê uma olhada nessa lição.

Quando aplicando uma iluminação, temos que utilizar a mesma temperatura de cor. Claro que em alguns casos queremos quebrar essa regra, mas quando você começa a misturar temperaturas de cor, elas irão combinar e criar alguns tons esquisitos: é como misturar várias tintas em uma paleta, gerando uma bagunça. Então, no que se refere às luzes, cuidado com a temperatura de cor de cada uma. Conforme você prestar atenção e conseguir avaliar essas diferenças, você se tornará capaz de identificar a temperatura de uma fonte de luz só de olhar para ela.

2. Luz Dura e Luz Difusa

Em segundo lugar, você precisa saber que a luz difere em sua potência ou força. Aqui não estou querendo dizer que algumas são mais brilhantes que outras, mas sim que algumas sao mais duras e outras mais suaves. Em uma extremidade temos algo como um spot, um ponto de luz que ilumina um único alvo e produz sombras de contornos bem definidos ao redor; já na outra ponta do espectro, temos fontes que proporcionam uma luz suave ao se difundirem ao longo do feixe de luz.

Fonte: mako.com.br

Softbox Fonte: mako.com.br

Por exemplo, ao utilizar um softbox ou um filtro de difusão obtemos uma luz que se espalha igualmente em todas as direções, criando sombras suaves ao longo do ambiente. Vamos falar desses equipamentos em outra lições, mas, no geral, é aconselhável utilizar luzes difusas, pois cria uma maior suavidade e evita sombras ásperas, que não possuem nenhuma transição entre o claro e o escuro.

3. Formato de Luz

Fontes de luz têm cores diferentes, níveis de força diversos e, finalmente, ela vêm em diferentes formatos. Para utilização em vídeos, o que precisamos sempre é de luz contínua e não de estroboscópicas ou flash, utilizado em fotografia.

A luz contínua possui três variáveis: tungstênio (incandescente), fluorescente e LED.

Tungstênio: essa luz é a avó das luzes utilizadas em vídeo. Antes de todas as novidades que existem hoje no mercado, as lâmpadas de tungstênio eram as utilizadas nas filmagens de vídeos e filmes. A vantagem desta lâmpada é que é facilmente acessível e é potente, mas, no entanto, esquentam demais! Caso você esteja gravando uma entrevista com esta lâmpada, garanto que ela será bem curta! A pessoa ficará bem desconfortável com um pequeno sol apontada para ela! Sem contar com as inúmeras vezes que você irá se queimar se não esperar o tempo apropriado para que a luz esfrie ao desmontá-la. Além disso, a temperatura de cor das lâmpadas de tungstênio não são equivalentes à luz do dia. Ao invés de 5600K, elas possuem por volta de 3200K, o que pode causar problemas ao misturá-las (como já falamos no primeiro tópico).

Fluorescente: elas são balanceadas conforme a luz do dia e se tornaram bem populares como uma alternativa às lâmpadas de tungstênio. Sua vantagem é que não são tão caras e não esquentam; e produzem naturalmente uma luz mais suave e difusa. Mas, elas não possuem a potência que uma lâmpada de tungstênio pode oferecer, o que te força a utilizar várias lâmpadas fluorescentes para o mesmo efeito dentro de uma mesma luminária, criando alguns problemas de tamanho e encaixe.

fluorescente

Lâmpada Fluorescente Fonte: lumitecfoto.com.br

LED: é a nova moda no mundo do vídeo. Suas vantagens são grandes, principalmente porque são mais eficientes no gasto de energia. Podem funcionar a base de baterias, o que as tornam portáteis: você pode utilizá-las em cenas externas ou em algum ambiente que não possua tomadas. As lâmpadas de LED também possuem dimmer, o que permite a você controlar a intensidade do brilho, e têm uma vida útil bem longa, evitando reposições constantes. Entretanto, ainda possuem um preço elevado. Felizmente, em breve isso deve mudar devido à sua popularidade; algumas marcas genéricas têm tornado possível adquiri-las com qualidade e por um preço bem menor!

LED Fonte: novoart.com.br

LED Fonte: novoart.com.br

Então essas são as três características que você deve considerar quando estiver montando a iluminação para seu vídeo:

  • Quais são as temperaturas de cores das minhas lâmpadas?
  • Quão duros ou suaves são os feixes das minhas lâmpadas?
  • Quais são os formatos destas lâmpadas?

Finalmente, se você está interessado em investir em um kit de iluminação, eu sugiro que você comece com lâmpadas fluorescentes, algo como isso ou uma versão nacional, como isso.

É um kit versátil e relativamente barato para o orçamento de sua igreja. Mas se você é um afortunado e isso já é passado para você, invista em LED sem medo!

Agora que você já sabe como funciona, na próxima lição, vamos falar sobre técnicas para empregar esses conceitos em cada situação.

Tem alguma coisa a acrescentar? Quer contar sua experiência? Por favor, comente! Queremos saber como tem sido sua história com a iluminação nas suas produções.


CONTINUE LENDO…

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search