Guia prático sobre vídeo para igrejas – Lição 08

LIÇÃO 08: CONTROLE MANUAL: ABERTURA, ISO E VELOCIDADE

Agora que já temos uma boa noção dos conceitos que você deve levar em conta nas suas produções, vamos começar a falar sobre os ajustes a serem feitos na sua câmera para tal. Então mude a seleção para o “M”, de manual, sem medo e vem com a gente!

Nesta modalidade da câmera, você é quem manda! Temos basicamente três ajustes principais a serem feitos: abertura, ISO e velocidade. Estes três aspectos vão te ajudar a chegar ao resultado que tanto falamos nas últimas lições.

ABERTURA

O termo refere-se ao orifício ou o “buraco” na lente da sua câmera por onde a luz passa. Ele pode abrir bastante ou pode ficar quase fechado. Quando vemos aquelas descrições nas lentes tipo “f3.4”, isso se refere a abertura. Por exemplo, se a lente está classificada como Tokina 11-16mm f2.8, este f significa a abertura máxima da mesma.

Existem algumas aplicações quanto a abertura que você deve saber:

  • Primeiro, ela determina a quantidade de luz que vai entrar na sua câmera. Cada lente possui diversas aberturas para que você escolha; quanto maior o número, menor será o diâmetro da abertura e menor a quantidade de luz captada. Compare com o seu olho aberto ou semi-cerrado: quando na primeira situação, você consegue enxergar tudo, até mesmo em lugares escuros; já na segunda, menos luz está chegando aos seus olhos e fica mais difícil enxergar.
  • Segundo, ela afeta a profundidade de campo. Lembra disso? Tem a ver com os elementos que estão em foco na sua cena. Se sua abertura está grande ou pequena isso vai afetar os raios de luz que estão chegando à sua câmera. Quanto mais aberta, menor será a profundidade de campo, mantendo o foco nos elementos mais próximos; e quanto mais fechada, maior será o alcance do foco ao longo dos objetos mais distantes na cena.

ISO

ISO é um termo que mede a sensibilidade da sua câmera à luz. É herança dos filmes físicos que utilizávamos antigamente, com o termo ASA, e surgiu de uma necessidade de padronização quanto às características de sensibilidade dos filmes utilizados e disponíveis mundialmente. Quanto maior o ISO, mais sensível ele será à captação da luz e vice-e-versa. Ele é uma maneira de aumentar o brilho da sua imagem se você acha que está muito escura. Se você precisa clarear a imagem, mas não pode incrementar a iluminação, colocando mais refletores, ou sua abertura está no máximo, recorra ao ISO, aumentando-o em alguns níveis. No entanto, cuidado! É sempre melhor usar números de ISO os mais baixos possíveis, pois quanto maior o número a imagem se torna granulada. E isso é bem difícil de ser revertido aqui no mundo digital. Abaixo temos duas imagens, ambas com a mesma velocidade, mas com ISO diferentes. Consegue perceber a granulação?

 

ISO 320

ISO 320

ISO 3200

ISO 3200

 

 

 

 

 

 

 

 

Sempre tento utilizar um ISO abaixo de 400, mas contato que você esteja abaixo de 1000, na maioria das câmeras está ok. Obviamente existem situações em que você terá que utilizar ISO mais altos que isso, mas não se preocupe! Às vezes para capturar determinada imagem você terá que filmar com um ISO super alto, mas se você puder, mire nos números mais baixos.

Passando para o campo prático, podemos ter alguma dificuldade quanto a isso em nossas igrejas. Os templos podem ser bem escuros e com pouca iluminação e você pode ser obrigado a aumentar o ISO mais do que você gostaria. Se esse for o caso, as melhores opções são:

  1. Aproxime-se ao máximo do palco ou do púlpito, pois essa área normalmente é mais iluminada que as outras áreas da igreja;
  2. Invista em uma iluminação apropriada para pelo menos o pastor enquanto ele fala. Não será apenas um ganho para sua câmera, mas também para a congregação.

O que você precisa saber sobre o ISO:

O que você precisa prestar atenção é que você sempre deve filmar no ISO mais baixo possível. É preferível adicionar mais pontos de iluminação, aproximar-se do objeto a ser filmado ou aumentar a abertura para que mais luz entre do que incrementar o ISO. Utilize-o sempre como o último recurso.

VELOCIDADE

A velocidade é a quantidade de tempo em que uma imagem é exposta, ou seja, a quantidade de tempo em que o obturador fica aberto, desde o momento em que você clica no disparador para tirar uma foto e ele abre, até o momento em que você ouve o obturador fechar, fazendo aquele click, e de fato capturar a imagem. Ao filmar vídeos, na verdade o obturador não fecha e abre fisicamente, mas simula este procedimento digitalmente.

A velocidade afeta a quantidade de luz que chega até à câmera, mas também afeta a renderização do movimento. Ela é medida em frações de segundo, por exemplo: 1/50 avos de segundo ou 1/100 avos de segundo. Mas, quando exibidas na câmera, as frações vão suprimir o 1, ficando o 1/50 somente 50. Lembra da nossa lição sobre frame rates? Se você está filmando a uma taxa de 24fps e sua velocidade está a 50, isso significa que cada quadro ou frame ficará exposto por 1/50 avos de segundo.

Uma regrinha

No que se refere a velocidade, existe uma pequena regra que pode ajudar na hora das configurações. Para um bom desempenho, sua velocidade deve ser sempre o dobro que a taxa de frame rate. Então, se você está filmando em 24fps, a melhor velocidade para se escolher seria 1/48 avos de segundo. Mas você nem sempre precisa seguir isso! Na verdade, usar velocidades diferentes pode criar alguns aspectos bem legais! Por exemplo, se você tem um objeto se movendo muito rápido na cena, como um fluxo de água ou um baterista empolgado, filmar em uma velocidade bem rápida como 1/400 trará um resultado com movimentos bem definidos. Isto pode parecer estranho em algumas situações, mas utilizando em temas de movimentos rápidos e bruscos permitirá que você veja cada estágio dele sem desfoque. No caso contrário, se você filmar em uma velocidade bem lenta, como 1/30, você terá bastante desfoque no seu vídeo com uma aparência bem suave. Se você não tem certeza de qual velocidade usar, siga essa pequena regrinha que mostramos acima e você terá um resultado bem satisfatório, mas não tenha medo de experimentar e inventar!

Resumindo, aqui tem uma figura que você pode carregar para cima e para baixo para te ajudar na hora do aperto:

img controle manual

 

E aí, já sabia de tudo isso? Tem alguma dúvida? Fale com a gente! Compartilhe as descobertas que você tem experimentado e na próxima lição vamos falar de mais um elemento que complementa esse tripé de hoje! Até!


CONTINUE LENDO…

Recommended Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search